Os desafios de envelhecer

Os desafios de envelhecer 29 out 2020

Por : Gran Giardino

Os desafios de envelhecer

No dia 1º de outubro foi comemorado o Dia do Idoso, data criada para maior valorização da vida após os 60 anos. Atualmente, no Brasil a população idosa já soma 28 milhões, número que representa 13% da população do país, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Ainda de acordo com o IBGE, a projeção é de que esse número dobre nas próximas duas décadas.

Com esse acentuado crescimento, os desafios de envelhecer ficam casa vez mais em pauta, como a pandemia, saúde física e mental, autonomia e a importância de profissionais e residenciais especializados em envelhecimento.

Pandemia

Classificadas como grupo de risco da Covid-19, a população idosa se viu em um rigoroso isolamento. Devido a isso, muitos interromperam seus tratamentos médicos e agora, com o afrouxamento das medidas protetivas, estão procurando atendimento de urgência por descontrole de suas doenças crônicas. A redução de atividades externas e interações sociais também provocaram um aumento nos sintomas de ansiedade. E, enquanto a vacina para o novo coronavírus não fica pronta, as inseguranças do envelhecimento só aumentam.

Saúde física e mental

Quando o assunto é envelhecer, a capacidade funcional do corpo e mente é o principal desafio. A saúde física fica comprometida com a fragilidade óssea, que dificulta a mobilidade e aumenta os ricos de queda. A saúde mental sofre com a deterioração cognitiva e da memória, favorecendo um comprometimento progressivo das atividades diárias e alterações comportamentais. Transtornos de humor, como depressão, ansiedade e bipolaridade também se tornam comum nesta idade e prejudicam as relações familiares e sociais

Protagonismo do idoso

O estatuto do idoso, de outubro de 2003, define ser obrigação da família, da comunidade, da sociedade e do poder público assegurar ao idoso, com absoluta prioridade, a efetivação do direito à vida, à saúde, à alimentação, à educação, à cultura, ao esporte, ao lazer, ao trabalho, à cidadania, à liberdade, à dignidade, ao respeito e a convivência familiar e comunitária.

A voz dos idosos deve ser ouvida, sua presença na sociedade deve ser ativa e respeitada, a fim de ser tornarem cada vez mais personagens capazes de exercer autonomia nas decisões importantes que refletem na sua vida.

Mesmo com todos os desafios, o envelhecimento não deve ser visto apenas como uma fase efêmera e de perdas. Não se pode condicionar a terceira idade a condições de saúde e, muito menos, tirar o brilho de ser uma pessoa idosa.

Envelhecer tem sim, muitos ganhos e pode essa fase deve ser vivida em plenitude. Para isso, é importante pensar na velhice, antes mesmo de vivê-la. É preciso se planejar, afinal: quanto mais refletirmos sobre o assunto, melhor chegaremos à nossa velhice. Seja protagonista de si em todas fases da vida.

 

Profissionais e residenciais especializados

Com o crescente número de idosos, a demanda por profissionais especializados em envelhecimento também aumenta. O geriatra é o especialista no envelhecimento humano e está capacitado para atender desde o idoso mais independente e com plena capacidade física e cognitiva até pacientes acamados ou que precisam de cuidados paliativos Residenciais com equipe multidisciplinar, qualidade nos serviços e infraestrutura adequada, como o Gran Giardino, se tornam essenciais para  a terceira idade ativa,  com qualidade de vida e assistência necessária.

Buscar no site

Newsletter

Envie o seu e-mail e receba sempre as novidades
do Gran Giardino Residencial Sênior.

Gran Giardino Residencial Sênior - Gran Giardino Residencial Sênior

Gran Giardino Residencial Sênior

Nosso objetivo é promover longevidade, vitalidade e independência, com uma sede ampla, aconchegante e segura, em um terreno repleto de árvores, com toda a infraestrutura necessária para a saúde e conforto dos hóspedes. Agende uma visita.

Saiba Mais

Fale Conosco